CONTADOR DE VISITAS AO BLOG

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A HELOÍSA ATÉ QUE TINHA UM POUCO DE RAZÃO...


Quando foi ao ar pela primeira vez, em 2003, eu gostava muito de assistir a novela “Mulheres Apaixonadas”, claro, não era um hábito, pois não sou muito de acompanhar novelas, mas quando podia eu assistia.

Achava muito interessante as várias histórias dos romances e dos desafetos das mulheres, como o da Estela apaixonada pelo Padre Pedro, as homossexuais que sofriam descriminação, a Raquel que apanhava do ex marido, mas uma que me chamava muito a atenção era a história da Heloísa, a “mulher que amava demais”.

Todo mundo a julgava, ou tinham pena, e outros até a chamavam de louca. Claro, admito que ela teve muitas atitudes, digamos assim, “extravagantes” ou até insanas.

A novela está em reprise a tarde, então, novamente, de vez em quando, dou uma “olhadinha”.

Um desses dias que parei um pouco para olhar estava passando a cena em que a personagem Heloísa (interpretada por Giulia Gam), tentando reconquistar o amor de seu marido Sérgio, contratou uma banda e fez uma faixa pedindo perdão e foi “homenageá-lo” em frente ao hotel onde ele estava hospedado após a separação.

Todos pediram a ele paciência, e ele prometeu que conversaria com ela com calma.

Então ela subiu ao apartamento, esperançosa de uma reconciliação, e foi recebida com agressões verbais de todos os tipos. Ele gritou com ela, ela tentou acalmá-lo. Ela disse que o amava e que estava fazendo uma homenagem. Então ele, saltando fogo “pelas ventas”, chamou-a de louca, disse que a adiava, mandou-a desaparecer, disse que ela era estéril, que não podia ter filhos, por isso nunca havia dado um filho a ele. E tudo isso gritando, humilhando-a na frente de todos, pisando nela e no amor dela. Então ela, cega de raiva, pegou uma faca e cortou o braço dele. Depois disso foi criticada por todos, e o Sérgio, como sempre, passou por coitadinho, como se ele fosse a mais inocente das criaturas da face da Terra. E essa não foi a primeira vez que ele a esculachou e humilhou-a publicamente. E ele sempre sai da história como a vitima da “mulher louca”.

Esses dias, olhando a novela e analisando a situação de todos os ângulos, parei para pensar: Ninguém tem sangue de barata, não é mesmo?

Repito que concordo que ela teve várias atitudes insanas, mas ela já foi muito maltratada e mal amada por esse homem.

Ela tinha muito amor por ele, mas foi agüentando a indiferença, as insinuações que ele recebia de outras mulheres, enfim, a cabeça dela entrou em pane!

E ele percebeu o que estava acontecendo. Mas ao invés de procurar ajudá-la, tentear entender o que estava se passando com ela, ele, para vingar-se procurava deixá-la mais insegura do seu amor, até chegar ao ponto de abandoná-la.

Qualquer um que tivesse um pouco de amor e consideração pelos anos vividos juntos, ajudaria e não deixaria chegar a este ponto.

Como no dia da homenagem no hotel. Ele nem sequer comoveu-se. Ele poderia ter dito, pelo menos, que foi muito bonita a intenção, que o tocou, mas que ela estava com problemas e para ele dar uma nova chance, ela precisaria curar-se, e se quisesse, poderia contar com ele.

Ou se ele já não sentisse mais amor por ela, poderia ter deixado bem claro, mas agradecido e se disponibilizado para ajudá-la, nem que fosse como amigo.

Mas não, ele, o coitadinho, fez questão de pisar e humilhar. Qualquer mulher perderia a razão, não digo que partindo pra cima dele com uma faca, mas qualquer uma daria pelo menos um tapa.

Sei que é só uma novela, mas isso acontece na vida real também.

Muitas vezes somos casadas e passamos a ser tratadas pelo marido com frieza, indiferença, intolerância... Homem tem dificuldade de terminar um relacionamento no qual ele não sente mais amor. E a mulher continua ali, iludindo-se e nutrindo um sentimento não mais correspondido.

Frisando que não concordo com a violência, mas se era para julgar, ela não era a única culpada desta história, ninguém analisou a parte de culpa dele. Não estou dizendo que seja correto agir como a Heloísa, apenas mostrando que também não é correto agir como o Sérgio.

Como disse o Padre Fábio de Melo, “somos tratados como permitimos”.
Se o homem nutre, da espaço a esse tipo de situação, acho que ele é mais culpado do que a mulher.

Mas se alguma de vocês, leitoras, estiver passando por um problema parecido, deixo aqui o site com os endereços de onde buscar ajuda:

MADA – Mulheres que Amam Demais Anônimas


2 comentários:

Anônimo disse...

Pensei que eu fosse a única a me sentir assim em relação à trama da novela.

Sérgio não é um exemplo de fidelidade, é estúpido, gosta de acusar e é incompreensivo.

O maior responsável pelo comportamento de Heloísa é o próprio ex-marido.

Becky.

Andrea Horto disse...

Concordo plenamente com o post. Heloísa é vítima da indiferença, das humilhações veladas, e com o tempo, se tornam uma verdadeira bomba emocional, o que para as pessoas, deixam um ar de "mulher louca, neurótica". Só quem vive essa realidade na pele, é que pode descrever melhor. Existem aos montes, casos como esse, e claro, a violência não justifica tudo isso, mas paremos prapensar nesses casos de crimes passionais, onde a vítima, é dada como coitada, parte mais fraca, mas analisemos friamente, quem é o verdadeiro culpado/a da situação ??? A que ponto, humilhações, indiferenças, falta de carinho, atenção a longo prazo, contribuem para essas desgraças acontecerem ??? Relacionamento a dois exige doação, cumplicidade, abnegação, e não um querer colocar a responsabilidade de ser feliz para o outro, tudo é troca, compaheirismo, pra quê humilhar, com certeza quem faz isso não gostaria de sofrer na pele, não é mesmo ? Julgar é fácil, mas o defeito se encontra dentro da pessoa que julga !!! vida a dois requer preparo, consciência, convivência, amor, doação e ao mesmo tempo, retribuição !!! Faltou respeito, faltou tudo, o início de uma linda e se possível, longa trajetória de uma história de ivda a dois !!!